BREGUETU

Breguetu, do "Grupo Experimental" de Recife, é uma obra que invade e amplia os olhares para o movimento do "brega", seu universo e seus elementos. 

Montagem em 2015, Breguetu também cirtulou pelo norte do Brasil, passando por Goiás, Pará, Amazonas e Bahía, no primeiro semestre de 2016.

Do início ao fim da festa, é a presença dele que tira de rostos e corpos uma felicidade que é viva e constante nos becos mais adjacentes da sociedade. É o romântico popular, um chinelo de dedo no final de uma festa de salto. É um discurso abstrato nas milhares de bocas que o tem como chiclete mastigado, que joga no chão e gruda novamente. Porque até quem odeia brega, escuta, dança ou veste algo brega. Alguns se recusam a receber este título sem ao menos levar em conta que todos somos bregas em alguma coisa na vida, porque brega, no final das contas, é aquilo que faz sorrir, seja lá de qual forma for. O brega tem o poder de mudar humor, cheiro de cozinha e expressões populares. O brega é meu, seu, de quem quiser. Brega sou eu, breguetu. Brega é brega!

 

Ficha Técnica

Concepção e Direção: Mônica Lira (Grupo Experimental)

 

Intérpretes criadores: Lilli Rocha, Jorge Kildery, Rebeca Gondim, Rafaella Trindade, Gardênia Coleto e Márcio Filho

 

Projeto de iluminação: Beto Trindade; Produção musical: Marcelo Ferreira e João Paulo Oliveira; Design gráfico: Carlos Moura; Produção: Emeline Soledade; Produção Comercial: Danilo Carias; Assessoria de comunicação: Paula Caal; Figurino: Carol Monteiro; Concepção e produção de cabelo e maquiagem: Jennyfer Caldas; Cenotécnico: Eduardo Autran; Preparação corporal: Luiz Roberto; Sonoplastia: Adelmo do Vale; Ator convidado: Henrique Celibi

 

"ZAMBO"

Criado em 1997, "ZAMBO" é uma das obras inaugurais do grupo Experimental. Para a apresentação na Mostra Brasileira de Dança de 2017, foram convidados todos aqueles que participaram das três montagens anteriores, além do elenco atual da companhia.

O espetáculo traduz esteticamente as ideias do movimento Mangue, erradicado em Recife - PE, tanto nos figurinos e na coreografia, quanto nos cenários e, em especial, na trilha sonora, também executada ao vivo.

"Pontilhados"

Sussurros de memórias habitam cada gota de silêncio, alterando um lugar que nos altera. Traçar o próprio caminho, pontilhando cada esquina, transformando cada pedaço de chão em história, memória. Neste Recife de amores antigos, passaram muitas Das Neves, Doras e até Madonnas, todas representantes e representadas pelas mãos que batem, buscam argolar dedos que apontem nortes, neste porto de tantos recifes. Por aqui elas ainda passam, ficam, fincam seus sentimentos mais extremos em cada ponte, em cada casa de ponta que um dia vestiram seus corpos de sonhos. Nessa ilha solitária de tantos braços, os abraços parecem refúgios. Ali, onde teu olhar alcança, meu corpo descansa.  Aqui, onde nos vestimos de memórias, nos despimos em dança.

 

Ficha Técnica

Concepção e direção: Mônica Lira

Núcleo de criação: Mônica Lira, Jorge Kildery e Lilli Rocha

Intérpretes-criadores: Lilli Rocha, Gardênia Coleto, Jorge Kildery, Márcio Filho, Rafaella Trindade e Rebeca Gondim

Artistas convidados: Adelmo do Vale, Adelmo Andrade, Deyvison Vicente, Marcela Rabelo, Joelma Tavares, Nataly Araújo, Priscila Araújo, Henrique Braz e Jennyfer Caldas

Produção: Emeline Soledade

Assistente de produção: Caio Trindade

Assessoria de comunicação: Paula Caal

Designer gráfico: Carlos Moura

Figurino: Carol Monteiro

Pesquisa musical: Mônica Lira, Paula Caal, Jorge Kildery e Guille Ceballos

Criação de trilha sonora: Guille Ceballos

Narração de áudio-guia: Zoraide Coleto e Lilli Rocha

Sonoplastia técnica: Marcelo Ferreira

Montagem e textos de áudio-guia: Silvia Góes

Textos de áudio-guia: Affonso Romano de Sant’Anna, Eduardo Galeano, João Cabral de Melo Neto, Carlos Pena Filho, Joaquim Cardozo, Italo Calvino, Erri de Luca e Lilli Rocha

Referências textuais: “O Recife: passeio à antiga”, de Fátima Quintas, e “Caminhos de Pedra – Calçadas do Bairro do Recife”, da Prefeitura da Cidade do Recife (2000)

Textos de folder: Paula Caal

Preparação corporal: Mônica Lira, Luiz Roberto, Rafaella Trindade, Márcio Filho e Jorge Kildery

Administrador/contador: José Vicente

  • "Palavras do Silêncio" 2013

    Coreografia do argentino Diego Lopez, direção de Luis Ruben Gonzalez.
    Montagem realizada dentro do Seminário RECDANÇA 2013, Recife - Pernambuco, no Ballet Gonzalez.
    Teatro Luiz Mendonça

  • "Epílogo" 2016

    Creografia de Luiz Roberto da Silva.
    Montagem de 2015 para a Cia. Studio de Danças - Recife - Pernambuco.
    Apresentou-se na Mostra Brasileira de Danças 2016.
    Teatro Apolo

  • "Labirindo" 2012

    Coreografia de Claudia São Bento, Cia. Dos Homens
    Recife-PE.
    Montagem em 2004 e Remontagem em 2012.
    Teatro Luiz Mendonça

There is no video clip yet